Autor defesacivil

pordefesacivil

Módulo II do Nudec Queimadas tem aula noturna no Morro das Andorinhas

A Defesa Civil de Niterói formou mais uma turma de voluntários do módulo II. Niterói já conta com mais de 200 voluntários preparados para auxiliar a cidade, indicando focos de fogo em vegetação e combatendo à soltura de balões.

A atividade final da mais recente turma do Módulo II foi noturna, realizada no Morro das Andorinhas, e encerrou o curso gratuito que começou com as aulas teóricas realizadas nos sábados anteriores. O curso é oferecido para diversas comunidades de Niterói e faz parte do Programa Niterói Contra Queimadas. O objetivo do curso é que os voluntários formados estejam capacitados para atuar em apoio a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros, denunciando focos de incêndio e soltura de balões – uma questão muito nociva para o município em meses festivos, que também são caracterizados pelo clima seco e ausência de chuvas.

Quase todos os incêndios em vegetação têm origem humana, seja por ação criminosa ou acidental. Provocar incêndio em vegetação, assim como soltar balão, é crime, e os responsáveis estão sujeitos à multa.

pordefesacivil

Com capacitação do SAMU e workshop, Defesa Civil de Niterói intensifica esforços em campanha global “Construindo Cidades Resilientes”

A Defesa Civil de Niterói capacitou, na quarta-feira (17), a equipe do SAMU, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, para atuação dentro de seu sistema. A ideia é alinhar a atuação conjunta dos órgãos em ocorrências de desastres naturais e no Sistema Municipal de Defesa Civil. Essa integração fortalece os esforços da campanha global “Construir as Cidades Resilientes: Minha cidade está se preparando”, promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU).

O município vem implementando ações para se adequar ao título de cidade resiliente, dentro dos padrões da ONU. Além da capacitação do Samu, em julho, Niterói se tornou a primeira cidade da Região Metropolitana do Estado do Rio de Janeiro, além da capital, a possuir rede pluviométrica autônoma, operada 100% pela Defesa Civil Municipal. O órgão realiza, ainda, rondas preventivas, organiza os Núcleos de Defesa Civil nas Comunidades (Nudecs) e capacita, periodicamente, voluntários para agir em casos de desastres naturais.

Niterói é uma das sete cidades brasileiras, entre os 5.570 municípios do país, que concorrem ao certificado Cidade Modelo em Resiliência, conferido pelo Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres. Na semana passada, a Defesa Civil participou de um workshop promovido pela ONU, parte da campanha Cidades Resilientes.

O seminário, na sede da Defesa Civil de Angra dos Reis, teve como objetivo a elaboração do Plano Local de Resiliência (PLR). O secretário municipal de Defesa Civil, Walace Medeiros, contou que a equipe está focada em atender os pré-requisitos da organização mundial para conquistar o certificado.

“Dentro da programação da campanha, essa é uma das mais importantes etapas, com criação do plano local de resiliência, que vai abordar características da cidade e desenhar passos seguintes na busca por condição estratégica e sólida de gestão de risco de desastres”, explicou.

O município foi indicado pela Secretaria Estadual de Defesa Civil para concorrer ao certificado por já apresentar ações de resiliência nos últimos quatro anos. Assim como Petrópolis, na Região Serrana, e as demais cidades participantes, Niterói está sendo avaliada em 90 itens e terá que apresentar o plano de municipal de resiliência até o final de 2018.

pordefesacivil

Niterói participa de Workshop da ONU

A Secretaria Municipal de Defesa Civil participou de workshop para a elaboração do Plano Local de Resiliência (PLR) na sexta-feira 13.07, na sede da Defesa Civil de Angra dos Reis. O evento foi promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de colaborar no desenvolvimento e implementação de planos de redução do risco de desastres de origem natural dos municípios. Participaram da reunião os municípios de Niterói, Petrópolis, Nova Iguaçu e Angra dos Reis.

Niterói é uma das sete cidades brasileiras, que vão concorrer ao certificado Cidade Modelo em Resiliência, conferido pelo Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres. O município foi indicado pela Secretaria Estadual de Defesa Civil por já apresentar ações de resiliência nos últimos quatro anos. Assim como Petrópolis, na Região Serrana, e as demais cidades participantes, Niterói será avaliada em 90 itens e terá que apresentar o plano de municipal resiliência até o final de 2018.

 

pordefesacivil

Campanha em Niterói reduz número de queimadas nos cinco primeiros meses do ano

De janeiro a maio deste ano, Niterói registrou 52 queimadas, contra 246 ocorrências do ano passado no mesmo período, revela o Corpo de Bombeiros. Isso significa uma queda de 79%, que a Defesa Civil e o 3º GBM atrelam ao trabalho preventivo que vem sendo realizado no município desde 2015, com o Niterói contra Queimadas. O programa já capacitou 230 voluntários e realiza rondas de conscientização dos vizinhos às áreas limítrofes de mata. No sábado passado, 72 voluntários fizeram o primeiro módulo do curso do ano, com atividades na Enseada do Bananal, no Parque Estadual Serra da Tiririca. Lá, eles tiveram aulas práticas de localização na mata com auxílio de bússola, manejo de vítima em local de difícil acesso e descida em rapel. A capacitação é concluída no fim do quarto sábado de treinamento.

Além disso, o programa prevê o mapeamento das áreas vulneráveis e o monitoramento meteorológico.

— Nós fazemos uma série de rondas com agentes da Defesa Municipal do município, da Secretaria de Meio Ambiente, da Guarda Municipal, da Companhia de Limpeza de Niterói (Clin), da Secretaria de Conservação e do Corpo de Bombeiros, além dos voluntários e das lideranças comunitárias conscientizando a população a não atear fogo no lixo, não jogar bituca de cigarro no chão e não incendiar a vegetação que necessita de capina, alertando para o risco à própria saúde e ao meio ambiente — diz o tenente-coronel Walace Medeiros, secretário de Defesa Civil de Niterói.

O trabalho será intensificado nesta época do ano devido ao risco causado por balões.

— Infelizmente ainda existe a cultura de soltar balões, o que é um crime. Temos equipe 24 horas de plantão para agir e evitar o pior. Também acionamos agentes para a perícia a fim de identificar os responsáveis; e os órgãos policiais, para que puna os responsáveis, o que é fundamental até por um caráter pedagógico para a população — argumenta o comandante dos Bombeiros, tenente-coronel Fabio Dutra.

Provocar incêndio em florestas ou matas é crime ambiental, com penas de prisão de dois a quatro anos. Já a pena para quem fabricar, vender, transportar ou soltar balões é de um a três anos, ou multa de mil reais a R$ 10 mil, ou ambas as penas.

Leia mais: https://oglobo.globo.com/rio/bairros/campanha-em-niteroi-reduz-numero-de-queimadas-nos-cinco-primeiros-meses-do-ano-22859266#ixzz5Klz0zh9Z
 

 

 

pordefesacivil

Defesa Civil capacita contra queimadas em atividade na Enseada do Bananal

A Defesa Civil de Niterói capacitou, no último sábado (30), 72 voluntários do primeiro módulo do curso Niterói Contra Queimadas em 2018. Na atividade, realizada na Enseada do Bananal, localizado no Parque Estadual Serra da Tiririca, os alunos tiveram aulas práticas de localização na mata com auxílio de bússola, manejo de vítima em local de difícil acesso, além de descida em rapel.

O diretor do setor de minimização de desastres da Defesa Civil, major Deyve Barreto, explicou que, no dia 7 de julho, o módulo I da capacitação chega o fim.

“A capacitação é de suma importância, pois esses novos voluntários são multiplicadores dos ensinamentos de prevenção a incêndios florestais no município de Niterói. Eles estão aptos a atuar em situações de emergências, quando acionados pela Defesa Civil de Niterói”, detalhou. 

O segundo módulo é para todos os alunos que já foram capacitados no módulo I e as aulas são sobre plano de contingência de Niterói, como manusear e onde usar extintor e abafador, aulas de meio ambiente, atuação da Polícia Ambiental, primeiros socorros II e aula prática com trilha noturna, com orientação cartográfica e bússola. 

O curso é oferecido gratuitamente para diversas comunidades de Niterói e faz parte do Programa Niterói Contra Queimadas. O objetivo do curso é que os voluntários formados estejam capacitados para atuar em apoio a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros, denunciando focos de incêndio e soltura de balões – uma questão muito nociva para o município em meses festivos, que também são caracterizados pelo clima seco e ausência de chuvas.

  Nesta turma, foram capacitados 70 novos voluntários.

 

 

 

 

pordefesacivil

Defesa Civil passa a gerir toda a rede pluviométrica de Niterói

No novo sistema, haverá ampliação da rede, com mais 20 equipamentos distribuídos pelo município

Niterói vai se tornar, a partir de julho, a primeira cidade da Região Metropolitana do Estado do Rio de Janeiro, além da capital, a possuir rede pluviométrica autônoma, operada 100% pela Defesa Civil Municipal. No novo formato, o órgão vai gerir todos os dados de pluviômetros do município, sem depender do Centro Estadual de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais.

No verão passado, a Defesa Civil operava 10 pluviômetros. No novo sistema, haverá ampliação da rede, com mais 20 equipamentos distribuídos pelo município, visando uma maior cobertura em áreas de vulnerabilidade. A reformulação engloba também equipe técnica especializada para operar o sistema 24h por dia. De acordo com o tenente coronel Walace Medeiros, secretário de Defesa Civil, o município vai se destacar pela eficácia de alertas emitidos.

“Com a nova configuração, a Defesa Civil de Niterói passará a contar com um sistema mais completo e de alta qualidade para obtenção de dados meteorológicos a serviço da antecipação de possíveis ameaças e consequente preservação de vidas. Chegaremos a 30 pluviômetros geridos pelo município, além das 33 sirenes em localidades como Alarico de Souza e Morro do Estado”, afirma.

Fonte: O Fluminense

pordefesacivil

Prefeitura vence prêmio geral em disputa na capacitação do Sebrae

A equipe da Prefeitura de Niterói foi a principal vencedora da etapa de premiações do Lidera Rio – Formação de Líderes Públicos, programa de capacitação do Sebrae-RJ. Nesta terça-feira (19), representantes da administração municipal venceram três das quatro categorias em disputa, além do prêmio geral. A cerimônia marcou o fim de 26 semanas de oficinas e elaboração de projetos.

O grande vencedor foi o projeto “Implantação de Parque Solar em Áreas de Encostas”, do secretário de Defesa Civil de Niterói, tenente-coronel Walace Medeiros, e da coordenadora do Escritório de Gestão de Projetos, Valéria Braga. Eles conquistaram a categoria “Sustentabilidade e Resiliência” e o prêmio geral. Ao todo, foram apresentados 28 projetos de gestores de oito municípios do Estado do Rio de Janeiro.

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, defendeu que governar exige capacidade de inovação, disposição, competência e habilidades que impulsionem o desenvolvimento das cidades. Ele ainda comemorou o destaque dos projetos apresentados pelos representantes da Prefeitura de Niterói.

“Governar as cidades do Brasil hoje é um desafio, ainda mais no Estado do Rio, que passa por uma crise sem precedentes. Esse trabalho de base do Sebrae para a formação de novos gestores contribui, e muito, ao construir condições para que o Estado do Rio consiga reverter este cenário. Estou muito feliz pelo reconhecimento aos gestores de Niterói que participaram deste programa e demonstraram a competência dos gestores, que é a marca de toda a equipe que compõe o governo”, disse o prefeito.

Projetos – O projeto “Implantação de Parque Solar em Áreas de Encostas”, do secretário de Defesa Civil de Niterói, tenente-coronel Walace Medeiros, e a coordenadora do Escritório de Gestão de Projetos, Valéria Braga, foi escolhido como o melhor entre os 28 apresentados pelos gestores. A dupla levou, ainda, o prêmio de melhor projeto na categoria “Sustentabilidade e Resiliência”.

A subsecretária de Cultura, Danielle Nigromonte, e a subsecretária de Planejamento de Niterói, Marília Ortiz, venceram na categoria “Derivações da Matriz Econômica”, com o projeto “Criação do Maior Polo Cultural do País”. A ex-coordenadora do Núcleo de Gestão Estratégica, Gláucia Macedo, e o subsecretário de Urbanismo, Rogério Gama, levaram o prêmio de “Urbanismo para o Desenvolvimento”, com o projeto “Intervenção Urbanística na Rua Visconde do Rio Branco”.

A presidente do conselho deliberativo do Sebrae-RJ, Carla Pinheiro, disse que o Sebrae acredita que, ao se aproximar dos gestores municipais, encontrou os parceiros ideais para que o ambiente de negócio esteja cada vez melhor nas cidades fluminenses. O diretor-superintendente do Sebrae-RJ, Cezar Vasquez, apontou o Lidera Rio como oportunidade para valorizar os gestores.

“As dificuldades e problemas que têm sido enfrentados pelo país e municípios fluminenses fazem com que, às vezes, a gente não se dê conta da capacidade, da motivação dos gestores municipais. Este programa tem justamente o objetivo de estimular a capacidade deles”, detalhou.

Fonte: O Fluminense 

pordefesacivil

Defesa Civil marca presença em Simpósio de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais

Nos dias 05, 06, 07 e 08 de junho de 2017, foi realizado o II Simpósio de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais da Região Serrana, no auditório do LNCC (Laboratório Nacional de Computação Científica) em Petrópolis – RJ.

O SPCIF é um evento anual do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro, realizado através do 15º Grupamento de Bombeiros Militar – Petrópolis, em parceria com instituições de ensino e pesquisa, organizações governamentais e não-governamentais, com o suporte de empresas privadas envolvidas no desenvolvimento de tecnologias para a resposta a incêndios florestais.


O objetivo do evento é reduzir o risco do desastre do tipo incêndio florestal, além de discutir as ações que cada agência pode desenvolver na prevenção, mitigação, preparação e resposta para a redução das queimadas indiscriminadas e de suas consequências, proporcionando uma maior integração entre todos os envolvidos.

A equipe multidisciplinar da Defesa Civil de Niterói e alguns voluntários participaram do evento, que teve os seguintes temas nos painéis: “Prevenção e Preparação”; “Aspectos Legais e Institucionais” e “Resposta e Recuperação perante ao Incêndio Florestal”.

 

 

pordefesacivil

Visita a Legião da Boa Vontade em Niterói

A Defesa Civil de Niterói visitou nesta terça – feira 12.06 a LBV – Legião da Boa Vontade em Niterói, a convite da instituição.

O intuito da visita foi conhecer os programas sociais voltados para crianças, adolescentes e idosos e através das palestras que a Defesa Civil realiza, levar conteúdo de prevenção e capacitação para esses grupos, com objetivo de perpetuar a cultura de prevenção às ameaças e evitar desastres.

Em um futuro próximo a ideia é estabelecer uma parceria com a instituição, para aumentar a rede de trabalho e contato dentro das comunidades, levando mais informação preventiva à população.

Participaram da reunião o BM Tenente Coronel Walace Medeiros, secretário de Defesa Civil do Município, Elmer Baldez, diretor de minimização da secretaria, Eliel Brum, representante da LBC no estado do Rio, Danilo Lima, gestor administrativo da unidade Niterói e Nilson Balestra, gestor administrativo da LBV  no estado do Rio de Janeiro.

 

 

 

 

 

 

 

pordefesacivil

Defesa Civil realiza mapeamento de risco no município

A Secretaria Municipal de Defesa Civil, através da Diretoria Operacional, iniciou no dia 11.06, segunda – feira, as atividades de mapeamento de risco a movimentos gravitacionais de massa (deslizamentos) no município de Niterói.

A região escolhida para iniciar o trabalho foi a rua São José, no Fonseca, localidade muito atingida nas chuvas de 2010 e que vem recebendo intervenções de urbanização. Além da São José outros sete locais serão mapeados pela equipe de geólogos e geógrafos da Defesa Civil: Vila Ipiranga, Alarico de Souza, Beltrão, Preventório, Maceió, Viradouro e Cel. Leôncio.

“O intuito principal do mapeamento é o de atualizar o cenário de risco dessas localidades, orientar os munícipes inseridos nessas áreas, subsidiar com informações os demais setores da PMN e estabelecer a gestão adequada no que se refere à redução de risco e desastres, política habitacional, realização de obras de estabilização e drenagem, instalação de equipamentos públicos, reflorestamento etc” afirmou Eric de Oliveira, diretor operacional da Defesa Civil.

O trabalho de mapeamento já vem sendo realizado na secretaria e em 2017 foram mapeadas 10 áreas do município.