R.P.A – Drone

A Aeronave remotamente pilotada (RPA), é utilizada com o objetivo de:

1. Defesa Civil (Prevenção, Mitigação, Preparação, Resposta e Recuperação)

1.1. Incêndio em vegetação

  • Avaliação de áreas atingidas por incêndio em vegetação (estimativa de área e indicação de foco inicial);
  • Apoio ao Corpo de Bombeiros na estratégia de combate aos incêndios em vegetação;
  • Observação (rotina) para identificação inicial de focos de incêndio em vegetação – Monitoramento de focos;
  • Observatório de balões.

1.2. Incêndio em Edificações

  •  Apoio ao Corpo de Bombeiros na avaliação de extensão e definição de estratégias

1.3. Acidente com Produtos Perigosos

  • Apoio às equipes de resposta no monitoramento da extensão, auxiliar na tática e métodos para a contenção e recolhimento;
  • Visualização das possíveis áreas a serem atingidas pelo material contaminante

1.4. Eventos relacionados ao Movimento de Massa

  • Avaliação da extensão;
  • Estimativa de danos;
  • Auxiliar na organização e distribuição das equipes de resposta;
  • Auxiliar nas tomadas de decisões para ações de proteção à vida

1.5. Eventos de prevenção e ocorrência relacionados ao colapso estrutural

  • Marquises: Rápido acesso na visualização das condições estruturais;
  • Fachadas: Acesso às partes altas dos edifícios.

1.6. Mapeamentos

  • Apoio aos recursos de mapeamento das áreas de risco geológico;
  • Georreferenciar áreas danificadas por queimadas em vegetação

1.7. Eventos relacionados às ameaças etiológicas

  • Prevenção e auxílio no combate aos vetores etiológicos [Aedes Aegypt, Columba livia (pombo comum), etc.];
  • Identificação de focos em apoio às equipes de combate;
  • Visualização de locais de difícil acesso

1.8. Apoio às ações do Corpo de Bombeiros (GMar)

  • Observação dos banhistas no mar;
  • Monitoramento em dias de ressaca nos locais de difícil acesso

2. Outros

2.1. Monitoramento do trânsito em apoio à NitTrans.
2.2. Monitoramento de grandes eventos em apoio às Secretarias e Empresas Públicas Municipais de Niterói, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar.
2.3. Monitoramento das obras do Município de Niterói.
2.4. Monitoramento das áreas de proteção ambiental quanto à ocupação irregular.

No que tange a operacionalidade do equipamento:

  • Os Agentes de Defesa Civil de Niterói devem estar capacitados e designados para operar o VANT
  • Os operadores devem seguir as orientações de segurança que o DECEA estabelece para a operacionalidade do VANT
  • Os operadores devem preservar o equipamento